Apaixone se Pela Raça Bulldog Francês

Publicidade:

Cão de companhia, pertencente ao grupo 9, o bulldog francês, como o próprio nome sugere, originou-se na França, em meados do século XIX. Este cão, curiosamente, sofreu a um grande processo de marginalização, exemplares eram largamente rejeitados e abandonados pelas ruas da Inglaterra. E eles acabaram sendo adotados pelos franceses, que se penalizavam com a situação destes animaizinhos. Já na França, foram sendo criados com maior liberdade. Também passaram a ser largamente usados nos processos de caça e durante o período desta. Porém, os bulldogs se popularizaram somente após aparecerem em pinturas entusiásticas de  DegasToulouse-Lautrec, inclusive voltando a ser adquirido em vários locais da Inglaterra. Curioso, no mínimo.

De pelagem lisa, macia, curta e brilhante, com peso entre 8 a 14 quilos, em exemplares machos, não atinge mais do que 35 centímetros de altura. O bulldog, embora tenha uma aparência para muito um tanto quanto “grave” ou “estranha”, é ainda assim um cão de colo e de pura companhia para seus donos. A expectativa de vida de um bulldog pode chegar até 14 anos, se todos os cuidados necessários forem tomados e ele tiver uma vida saudável e feliz.

As feições de um bulldog francês são muito engraçadas. Ele parece estar com raiva ou ainda bravo o tempo todo, mas são cães muito distintos e que apresentam de fato a fineza dos franceses e a cortesia e elegância dos ingleses. São alegres, calmos, brincalhões, companheiros e muito, muito inteligentes. A maior necessidade que um cão desta raça possui é a companhia humana, não suportam ficar sozinhos. Por terem uma natureza muito calma, podem ser criados tranquilamente em apartamentos pequenos. Não costumam latir, portanto, não são cães de alerta e nem devem viver fora de casa em quintais por terem geneticamente problemas respiratórios.

Os filhotes costumam ser mais ativos, mas isto dura até os 18 meses de vida. Também há uma advertência para quem quer ter um bulldog em casa: não é possível ter dois exemplares, em particular do mesmo sexo, em casa. Como se trata de um cão essencialmente sangue bull e sangue terrier, os problemas entre os dois poderá sim existir. Se, caso não houver outra alternativa, o ideal é que ambos sejam castrados, desde pequenos. Também por conta de sua origem, não podem ser tratados em confinamento, pois desta forma, certamente atacará aos adultos.

Precisam de alimentação boa e rica em nutrientes, não precisam de tosa, mas as vacinações e as visitas ao veterinário devem ser constantes e regulares. Banhos a cada dois meses.