Como Cuidar de Cães da Raça Boxer

Publicidade:

Desenvolvido no final do século XIX na Alemanha a partir de uma raça extinta Bullenbeisser, de um cão Mastiff descido e buldogues trazidos de Grã-Bretanha, os cães da raça boxer pertencem ao grupo 2, o de cães trabalhadores, estando também na seção 2,  cuja função original era lutar contra touros. São extremamente inteligentes, ocupam a 48ª. posição no ranking, embora a aparência possa desdizer a informação.  São cães que ao longo de seu desenvolvimento também foram utilizados para serem cães de guarda, mesmo apresentando uma aparência relativamente dócil. Sempre em alerta, são cães ideais para estar ao lado de famílias, em especial as que possuem crianças.

Os cães da raça boxer são fortes, ágeis e muito resistentes. A origem do nome da raça é bastante obscura, mas é possível que tenha se originado a partir da palavra alemã “boxl” que traduzida de forma literal significa “abatedouro”. Os boxers foram os primeiros a serem utilizados como cães policiais tanto pela polícia quanto pelos militares na Alemanha. Em 1900, conta-se que a raça já era tida como genérica, uma vez que milhares de pessoas possuem um exemplar em suas casas, para fins variados. Contudo, somente passaram a ser cães tidos como de estimação, por volta de 1940, já quase no fim da Segunda Guerra Mundial.

Há estudos que afirmam ser o boxer um cão que não avança muito em termos de maturidade, mesmo sendo muito inteligente. As pesquisas realizadas com diversos animais apontaram que estes cães se assemelham em idade biológica a uma criança de no máximo três anos, e que ele permanece assim até o fim da vida. Realmente isto pode ser notado em suas principais características: são brincalhões, exuberantes, curiosos, expressivos, devotados e extrovertidos. Às vezes podem apresentar certa teimosia, mas costumam respeitar e atender bem aos comandos de seus donos. Fáceis de serem adestrados.

Os exemplares machos podem alcançar até 63 centímetros, isto quando considerado até a cernelha. O peso pode chegar aos 36 quilos, também nos machos. As fêmeas comumente são um pouco menores. A expectativa de vida chega aos 10 anos.

Os boxers precisam se muita atividade física e mental. Precisam de corridas diárias, ou longos passeios com coleira ou guia. Não é um cachorro para viver do lado de fora de casa. Precisam do convívio mesmo familiar. Não suportam calor, e alguns exemplares podem apresentar problemas respiratórios e desenvolver um ronco muito característico. Os pelos são relativamente fáceis de serem mantidos, devem ser escovados apenas uma vez por semana, para a retirada dos que estão mortos. Precisam frequentemente ir ao veterinário, pois são cardiopatas. Vermifugações devem ser semestrais. Alimentação à base de ração de boa qualidade.