Como Cuidar de Rottweiler

Publicidade:

De origem quase desconhecida, os cães da raça rottweiler, provavelmente, são oriundos da Alemanha, e estão inseridos no grupo 2, na seção 2. Não são cães de passeios ou de criação em colo. Segundo pesquisadores, esta raça era usada por açougueiros que viviam na região de Rottweil, exclusivamente para o trabalho pesado. Portanto, era um animal de guarda, de pastoreio, além de ser usado também na tração de carroças. O que se sabe, é que se trata de uma das raças mais antigas da Europa, estando entre humanos desde o século I. Ainda segundo alguns dados históricos, eram os rottweilers os cães vistos entre prisioneiros fixados na região dos Alpes. Há ainda a versão de que o imperador Nero mantinha cães desta raça entorno de seu palácio, com o intuito de afugentar as pessoas.

É um dos cães mais populares no mundo inteiro, não apenas por seu porte e vigor físico. Mas por conta de seu temperamento. Quem quer um cão de guarda, que exerça de fato a função, deverá apostar em ter um exemplar deste em casa. Mas é importante saber que estes cães não podem viver em locais pequenos e apertados, muito menos confinados, pois se tornam por demais agressivos.

Inteligente, ocupa a 9ª. posição no ranking mundial. Grande, sério, confiável, protetor e territorialista. Defende sua casa, literalmente com unhas e dentes, e que dentes! Mandíbulas muito fortes, é altamente agressivo com os intrusos que invadem o local que protegem. São inclusive agressivos com outros cães machos. Nada temem. E por mais incrível que possa parecer, eles adoram crianças. Mas é bom que sejam adestrados desde filhotes, já que o temperamento deles poderá ir do bobalhão ao irritadiço. É, portanto, o melhor cão de guarda que pode se ter em uma casa.

A pelagem é curta, de fácil manutenção, e não precisam de tosas. Mas é bom que o pelo seja escovado com regularidade para a retirada de excessos de pelos mortos. Banhos não podem ser frequentes, para que não seja removida a oleosidade natural, é esta que mantém o pelo brilhante. Banho a seco é o ideal. Também evita que ocorra problemas dermatológicos promovidos por umidade e alergias. Precisam também eleger um dono dominante para obedecer. A alimentação precisa ser equilibrada, com ração de qualidade, já que são animais de grande porte. Água fresca e limpa e vermifugação a cada seis meses. Considerável levá-lo ao veterinário, ao menos, uma vez por ano.