Como Cuidar de um Cão da Raça Akita Americano

Publicidade:

De nome bastante curiosos, este cão é um típico dos que pertencem às raças denominadas orientais. Seu nome, akita americano, apresenta origem nos Estados Unidos, curioso, no mínimo. Ligados akita inu de origem japonesa, foi um dia considerada parte desta. A raça canina akita já foi muito famosa por ser voltada para brigas e lutas que aconteciam nas ruas e valiam muito dinheiro entre os donos e apostadores. Já foram considerados os melhores cães do mundo, por conta da qualidade dos pelos, e de suas características genéticas. O akita americano resultou, portanto, de um cruzamento entre os akitas inus e os pastores alemães, quando foram levados para a América durante o período da Segunda Guerra Mundial.

Entretanto, como em certo momento, as rinhas, ou brigas passaram a ser proibidas, os cães foram transformados em monumentos nacionais e ao mesmo tempo em que foram esquecidos pelas pessoas.

Embora seja uma raça bastante popular, é um dos cães que para serem comparados custa mais caro no universo canino. Um filhote com 45 a 60 dias não sai por menos de R$ 1500,00. Isto sem contar todos os aparatos que devem ser dispendidos já nos primeiros meses de vida, como as vacinações obrigatórias, idas ao veterinário, e alimentação de altíssima qualidade. Os akita americanos possuem os olhinhos bem puxados, assim como as pessoas de origem oriental, o que faz dele um cão exótico, fora de seu país de origem. O que certamente encarece ainda mais seu valor.

Silenciosos, fortes e muito robustos, apresentam um corpo grande, ao passo que as carinhas são menores. De focinho bastante alongado e na coloração preta ou mesclada, possuem pelagem não muito longa e que não demanda muitos cuidados. Precisam ser escovados com certa frequência apenas para a retirada dos pelos mortos. Banhos devem ser realizados a cada mês. Tosas, somente as higiênicas.

Também são bastante reservados e evitam estranhos, em particular se estiverem sem seus donos. Fiel mesmo e muito dedicado. Escolhem apenas um membro da família para obedecer, mas costumam ser tratáveis com todos os demais membros. Se considerada esta característica, pode até parecer estranho que adorem as crianças. Curtem as brincadeiras delas, de core para baixo e para cima, mas não toleram brincadeiras ou movimentos bruscos, podem se tornar ligeiramente agressivos. Não é recomendável, portanto, que crianças muito pequenas sejam deixadas com ele. Nem mesmo outros cães, pois podem ocorrer lutas. A genética é implacável.