Sptiz Alemão, Linda Raça

Publicidade:

Levados pelos vikings até a Alemanha, os cães da raça sptiz alemão possuem três distintas variedades de tamanho: gigante, standart e o mini, sendo que este último é mais conhecido por seu nome popular, o lulu-da-pomerânia.  Estão presentes entre os alemães desde 1450, e inicialmente fora um cão criado para o pastoreio, devido ao seu porte médio único à época. Não são cães fáceis de serem comandados. Por isso, quem deseja ter um exemplar dessa curiosa raça, precisa adestrá-lo ainda quando filhote, para que ele não saia roendo, destruindo e latindo sem parar e sem nenhuma pretensão de se tonar um cão obediente.

Os sptizs estão classificados na Federação Cinológica Internacional como pertencente ao grupo 5, na seção primitiva de cães. Podem chegar na fase adulta até os 40 centímetros e pesar em média, em cães saudáveis, até 19 quilos, nos exemplares machos e gigantes. Já a versão mini do “lulu-da-pomerânia”  não passa dos 28 centímetros e 10 quilos. É uma raça canina que se manifesta em praticamente todas as cores.

A pelagem é bastante farta, longa e lisa. Ele é considerado ainda como sendo um cão do tipo quadrado, ou seja, a altura é praticamente igual a comprimento. Isto faz do splitz um cão que se assemelha a uma bola de pelos. Lindo de se admirar.  Embora estes sejam atributos que possam dificultar os cuidados com o lulu-da-pomeânia, o pelo não demanda cuidados específicos. Escovações periódicas são recomendáveis, ao menos duas vezes por semana. Assim como  outros cães de seus grupo, banhos devem acontecer a cada mês. Tosas gerais e higiênicas apenas em dois ou três meses.

Os cães da raça splitz precisam se exercitar bastante, já que são muito ativos, mas nada de exercícios muito rigorosos. Eles costumam  satisfazer-se com brincadeiras dentro de casa ou ainda com passeios curtos nas coleiras mesmo. Como são cães típicos de residências, gostam mesmo é de brincar dentro de casa com seus donos. Embora seja um cão muito peludo, não tolera muito o frio, e não gosta de viver fora do aconchego do lar e longe dos seus donos. Caso isto seja uma tentativa por parte da família, o splitz tende a ficar irritadiço e a latir demasiadamente.

As idas ao veterinário também devem ocorrer ao menos duas vezes por ano. Estes cães podem sofrer com luxações e de modo menos preocupante, hipoglicemia. Apresentam ocasionalmente problemas nas articulações. Vivem em média 16 anos, caso se alimentem com ração de alta qualidade.